Sodexo é referência em diversidade

Descrição de Imagem: Fotografia de Georgina no ambiente de trabalho. Georgina é uma mulher negra e está sorrindo. Veste um uniforme azul com logo da Sodexo na camisa e está ao lado de um carrinho de limpeza amarelo que contém utensílios e produtos de limpeza
Georgina tem deficiência intelectual e recebeu treinamento com a metodologia de emprego apoiado. Hoje trabalha como auxiliar de limpeza na Sodexo.

A Sodexo foi fundada em 1966, na França, e hoje é líder mundial em serviços On-site (desde a construção da infraestrutura até a comercialização dos produtos),  e na divisão Benefícios e Incentivos. Com mais de 420 mil funcionários,  tem 95% deles atuando em contato direto com os clientes. Assim, a  cultura corporativa visa incorporar as diferenças, e o grupo  é referência no equilíbrio de gênero na alta liderança – tem cerca de 43% de mulheres no Comitê Executivo e 38% no Conselho Administrativo.

Entre os pilares da Sodexo está promover o desenvolvimento dos colaboradores e estimular práticas que eliminem qualquer tipo de discriminação no emprego. “Faz bem para as pessoas e para a estratégia do negócio”, garante Marcelo Vitoriano, gerente de Diversidade e Inclusão do grupo no Brasil.

Com a certeza de que a inclusão está em todas as dimensões sociais, a gerência de Diversidade trabalha pela empregabilidade das pessoas com deficiência, e também pela valorização da diversidade na sociedade: os colaboradores da Sodexo, por exemplo,  têm acesso ao curso de Libras.

“Não basta contratar. Antes é preciso sensibilizar os gestores para que acolham o profissional com deficiência sem superproteção nem preconceito”. Para treinar e capacitar colaboradores com deficiência, e também os gestores, a empresa tem parceiras com consultorias externas para os processos de encaminhamento, contratação, gestão e retenção dos profissionais.

Atualmente 540 pessoas com deficiência trabalham na organização e, no novo ano fiscal que teve início em 1º de setembro de 2016, mais 300 vagas deverão ser abertas, 90% das quais para a área de alimentação, em restaurantes que a empresa implanta em hospitais e universidades.

Como a maior parte dos contratados tem deficiência intelectual, o emprego apoiado também é imprescindível ao sucesso da contratação, especialmente aos ingressantes. É o caso de Georgina, que nos deu seu depoimento:

“Sou Georgina de Lima, tenho 47 anos, e uma deficiência intelectual leve (CID F70). Sou auxiliar de limpeza. Sou solteira, tenho dois filhos, um também tem deficiência intelectual. Estudei até a quinta série do ensino fundamental e trabalhei como empregada doméstica, faxineira e coletora de materiais recicláveis. Entrei  na Sodexo há quatro meses, através do Instituto de Tecnologia Social, que foi muito importante para dar certo. É muito difícil para quem tem deficiência encontrar um bom emprego sozinho. Aqui sou bem tratada por todos, aprendo coisas novas e faço amizades. As pessoas na rua me olham diferente – muito melhor agora do que quando eu era coletora. Agora estou sempre bem e tenho carteira assinada. Eu gosto muito de trabalhar aqui. Espero me aposentar na Sodexo”.

Voltar para Boas Práticas