Carnaval terá acessibilidade para pessoas surdas e com deficiência visual

no estúdio de gravação, intérprete de libras no centro, cinegrafistas acompanham com as câmeras.
Gravação em estúdio dos Sambas-enredos em Libras / Crédito: SMPED

Sambas-enredos ganharão traduções em LIBRAS e desfiles contarão com audiodescrição transmitida online, direto do sambódromo

Por Lucas Borba

Na última sexta-feira (4), a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) divulgou em sua página no Facebook o fim das gravações das traduções na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) dos 14 sambas-enredos das agremiações do Grupo Especial de São Paulo. O material em vídeo é fruto da 5ª edição do Projeto Samba com as Mãos, uma realização da Prefeitura de São Paulo, por meio da SMPED.

Antes do Carnaval, links para os vídeos ficarão disponíveis no site e no canal da Secretaria no Youtube. Durante os desfiles, as traduções serão exibidas em telões no Espaço da Cidade, no Anhembi. Além disso, pessoas com deficiência visual contarão com o recurso de audiodescrição, que traduzirá verbalmente todo o conteúdo visual dos desfiles, direto do sambódromo, pelas redes sociais da SMPED.

Para a gravação das traduções em LIBRAS, a SMPED reuniu um grupo de intérpretes da língua e algumas pessoas surdas, que trabalharam junto com os autores das letras na construção de adaptações condizentes, tendo em vista que a maioria dos sambas-enredos usam palavras de origem africana e ditos populares.

Em entrevista ao site Acontece Agora Online, Cid Torquato, Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência, afirmou que o Carnaval é uma ótima oportunidade para conscientizar e sensibilizar ainda mais a sociedade acerca dos direitos das pessoas com deficiência, frisando a importância da atividade inclusiva como estímulo para a participação do segmento nas ações da cidade. “Com o grande resultado obtido nas edições anteriores, queremos ampliar o projeto, e divulgá-lo para que mais pessoas participem e se emocionem”, acrescenta.

O Acontece Agora Online aponta que, nos últimos anos, pessoas com deficiência de outros Estados e até de outros países acompanharam os desfiles. Segundo dados do Censo 2010 do IBGE, que depois foram revistos em 2017, de 2 a 10 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva em algum nível, e pelo menos 7 milhões apresentam algum grau de deficiência visual. Em São Paulo, estimam-se 350 mil pessoas com deficiência visual e mais de 120 mil pessoas surdas,.

Voltar para Notícias