Coronavírus – Pesquisa online quer entender o impacto na vida de pessoas com deficiência

Plano de fundo branco. No topo, à esquerda, a ilustração de cinco pessoas com deficiência, uma delas empurra uma cadeira de rodas, as outras têm deficiência visual e andam em círculos. Todas usam máscara. Ao redor, vírus coloridos. À direita, com destaque, o seguinte texto: “Neste momento de pandemia, o distanciamento social é a melhor forma de prevenção ao coronavírus. Porém, para algumas pessoas isso é impossível. Para entender este quadro, elaboramos esta pesquisa para saber como estão as pessoas com deficiência ou reabilitadas do INSS e suas famílias. Vamos, juntos, buscar alternativas para amenizar os impactos do vírus. Acesse o link: bit.ly/coronaviruseaPcD”. No rodapé, o logotipo dos apoiadores da pesquisa: COEXISTIR, Câmara Paulista pela Inclusão da Pessoa com Deficiência, Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e Cidade de São Paulo Pessoa com Deficiência.

Publicado em: 04/05/2020


Questionário é fruto de uma iniciativa da SMPED em parceria com a Câmara Paulista de Inclusão da Pessoa com Deficiência, o CMPD e o Coexistir Sincovaga.

Por Lucas Borba

 

Desde o começo do atual período de quarentena em nível nacional e global, grupos e organizações como a própria ONU têm emitido notas com recomendações de cuidados específicos a serem tomados por pessoas com deficiência em maior vulnerabilidade, seja devido ao quadro de saúde ou mesmo à condição social, que por vezes dificulta, inclusive, o isolamento preventivo.

 

Com o crescente número de casos de Coronavírus no país, porém, a questão que fica é: como essas pessoas e suas famílias têm de fato sido impactadas e quais as suas maiores necessidades?  Para compreender essa realidade, A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED), o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD), a Câmara Paulista para Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho Formal e o Coexistir Sincovaga elaboraram a pesquisa “Coronavírus (COVID-19) e as Pessoas com Deficiência”, que também engloba as pessoas reabilitadas pelo INSS.

 

Além do tipo de deficiência, a pesquisa busca a compilação de dados por região, gênero, etnia, escolaridade, condição no mercado de trabalho, renda familiar e por pessoas que apresentam ou não alguma doença crônica.

 

Responda à pesquisa no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc9TvrUP5E3PD8imxgAXpjiZ-WdrwDytyppXCilVM-JZu75RQ/viewform

Voltar para Notícias