SMPED oferece cursos de capacitação para empresas

Marinalva Cruz é uma mulher branca, de olhos castanhos, cabelos lisos na altura dos ombros, usa blusa preta e saia branca com estampa florida. Está falando ao microfone. É uma mulher com deficiência física.
Marinalva Cruz, diretora da ONG Turma do Jiló

Publicado em: 14/04/2022


Por Raquel Paoliello

              A SMPED (Secretaria Municipal das Pessoas com Deficiência) está com uma parceria para vagas de trabalho para pessoas com deficiência para oferecer um curso para as empresas que se adaptarem ao mercado de trabalho em que as pessoas com deficiência devem participar e ter direitos iguais como todos. O curso tem a duração de um mês e é resultado da parceria entre a SMPED e o programa de empregabilidade da ONG Turma do Jiló, que promove formação para as empresas que se interessarem. 

As capacitações são tanto para profissionais, e/ou estudantes de RH (a partir dos 18 anos), quanto para pessoas com deficiência em busca de emprego (a partir dos 14 anos). O projeto vai acontecer ao longo desse ano, de forma online, todo mês com um grupo novo.  

Uma pesquisa realizada pelo IBGE há 2 anos atrás, em 2019 e que teve seus resultados divulgados em Agosto do ano passado, afirma que a inclusão no nosso País ainda tem muito pouco espaço tanto nas escolas inclusas, quanto no mercado de trabalho. O mercado não é acessível e ainda é bem fechado, por exemplo as provas de concurso público, não são acessíveis para quem possui deficiência visual e poucos sabem auxiliar se a pessoa com deficiência precisa de ajuda para escrever. 

No mercado de trabalho, as pessoas com deficiência representam apenas 0,9% das carteiras assinadas no país, segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2016. De acordo com pesquisa do IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde de 2013, 6,2% da população do país têm algum tipo de deficiência. Ao mesmo tempo, apenas 441 mil de pessoas com deficiência estão empregadas. Ou seja, menos de 1% do total de empregos formais do Brasil são ocupados por pessoas com deficiência.

             Em relação à inclusão no mercado de trabalho, a pesquisa revelou que apesar do direito ao trabalho para as pessoas com deficiência ser garantido pela Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei n. 13.146, de 06.07.2015), o nível de ocupação das pessoas com deficiência com 14 anos ou mais foi de 25,4%, enquanto na população sem deficiência chegou a 60,4%.  

       Ao contrário do que defende o ministro da Educação, Milton Ribeiro, em artigo publicado no site da UOL em 17 de agosto de 2021 “no inclusivismo” crianças com deficiência “atrapalhavam” o aprendizado de outros alunos sem a mesma condição.” O ministro entende que as escolas e, consequentemente, o mercado também não estão preparados para receberem pessoas com deficiência.  

Pessoas com deficiência não são pessoas incapacitadas, mas sim pessoas com demandas adaptativas diferenciadas, e o que realmente “atrapalha” e cria barreiras aos processos de ensino-aprendizagem, é a precarização do trabalho e da estrutura escolar ao qual alunos e profissionais da Educação têm enfrentado diariamente no país.     

   Segundo Marinalva Cruz, diretora da Turma do Jiló,  “iremos evidenciar essa mega parceria da SMPED para juntos oferecer cursos gratuitos voltados ao mercado de trabalho. O projeto auxilia ainda os novos estudantes com deficiência que acabaram de se formar e estão em busca de um ótimo emprego e/ ou as pessoas com deficiência que também seguem em busca de uma oportunidade.     

Ainda falta bastante para a maioria das empresas alcançarem, por exemplo, o número exigido pela Lei de Cotas, em cada empresa, que é de 5%.

Esse programa é oferecido pela secretaria, pois ainda falta muita inclusão no  mercado de trabalho e precisamos evoluir muito e incluir várias empresas.  A sociedade precisa muito ser inclusiva e abrir vagas para o mercado para as pessoas com deficiência poderem trabalhar normalmente, afinal, não é porque a pessoa tem deficiência que ela não pode ser inserida no mercado.  

      Para saber mais sobre este curso, acesse: https://bit.ly/36A7g1x.

Fonte: 

Voltar para Notícias