Universidade Federal do Piauí desenvolve manual para ensino de Ciências em LIBRAS

Capa do manual. A imagem tem um fundo branco nas bordas, com uma mancha azul clara no centro, onde se vê o título escrito em letras vermelhas e negrito: Manual de Libras para Ciências: a célula e o corpo humano. Logo abaixo há algumas ilustrações em círculo. Cada uma está envolta em um círculo, onde temos as ilustrações de: um crânio, um pulmão, um cérebro, um intestino, um coração e um feto, que aparece no lado esquerdo da imagem e está sendo segurado por duas mãos. Abaixo das ilustrações, no canto esquerdo temos o logo da EDUFPI e no canto direito, os nomes dos autores responsáveis pelo manual, em formato de lista: Bruno Iles, Taiane Maria de Oliveira, Rosemary Meneses dos Santos, Jesus Rodrigues Lemos.

Publicado em: 10/08/2020


Por Fátima El Kadri

Conteúdo pretende levar mais acessibilidade às aulas, além de facilitar a missão do intérprete de LIBRAS.

É comum encontrarmos pessoas surdas e alfabetizadas em LIBRAS que conseguem se comunicar e compreender as coisas de uma forma genérica. Porém, quando se trata de uma área do conhecimento específica, a situação é bem diferente. 

Foi o que aconteceu no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Piauí, onde a presença de alunos surdos evidenciou a dificuldade que eles tinham em compreender o conteúdo passado em sala de aula — mesmo com a presença de um intérprete de LIBRAS. Isso porque há termos específicos para os quais ainda não havia tradução na Linguagem Brasileira de Sinais. 

Então, um grupo de professores e alunos resolveu agir e, com o apoio de consultores de sinais e tradutores, criou o Manual de Libras para Ciências: a célula e o corpo humano. 

Dividido em 11 capítulos, o material contém os sinais desenvolvidos para a terminologia específica da disciplina, como nomes de células, tecidos, músculos, ossos, órgãos do sistema circulatório, urinário e assim por diante. Pode-se encontrar, por exemplo, os símbolos para “Tecido Epitelial”, “Hemoglobina”, etc. 

 “Este manual é de extrema importância não só para os surdos, mas também para os profissionais da educação, como os professores, os intérpretes e os instrutores de libras. Vale lembrar que este manual também vai privilegiar outras áreas do conhecimento, tais como Medicina, Enfermagem, Psicologia, etc., áreas estas que também encontram carência de material sobre o assunto e que têm histórico de dificuldade em realizar atendimento à pessoa com surdez”, ressalta  Liana Maria Menezes Galeno, pessoa surda que assina o prefácio do manual”. 

O conteúdo completo está disponível para download gratuito no site da Universidade Federal do Piauí

Voltar para Notícias