A possibilidade de voltar a andar após a paralisia

paciente exercita o caminhar utilizando a técnica desenvolvida pelo cientista brasileiro, Miguel Nicolelis: um suporte corpóreo e um andador.

Tecnologia que estimula a musculatura por comandos cerebrais garantiram o movimento das pernas de pacientes paraplégicos. Pelo menos três deles estão sendo beneficiando pela pesquisa realizada por um brasileiro, o neurocientista Miguel Nicolelis. O estudo foi publicado em maio, na revista Scientific Reports

Parece ficção científica, mas é ciência.  O pesquisador da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, comanda o projeto que une as potencialidades cerebrais à tecnologia (máquina). Resumidamente, a musculatura das pernas é estimulada a partir de comandos cerebrais e os pacientes recuperaram a capacidade de caminhar com “um importante grau de autonomia”. Isso, com equipamento de baixo custo e sem utilizar procedimentos invasivos.

“Toda a abordagem usada neste estudo não necessita de qualquer procedimento cirúrgico medular, publicou em suas redes sociais o Dr. Miguel. Segundo ele, a técnica prescinde do uso do “exoesqueleto” e se utiliza de um suporte corpóreo e um andador convencional.

Texto: Adriana do Amaral

Leia a matéria na íntegra:

https://www.redebrasilatual.com.br/saude-e-ciencia/2019/05/2018balburdia2019-da-ciencia-brasileira-possibilita-que-pessoas-com-paralisia-voltem-a-caminhar/

Voltar para Boas Práticas