A inclusão pela música, que é libertadora e integradora deu o tom à festa da inclusão

fotografia mostra músicos do Grupo de Percussão do Nurap tocando junto ao público. No fundo, o palco.

Publicado em: 25/07/2019


Os mestres de cerimônia, a Drag Queen Gervásia Boreal e Leonardo Fernandes da Cruz fizeram questão de inserir a plateia como protagonista na festa de aniversário da Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência e Reabilitados do INSS. Além de recepcionar os convidados oficiais, circularam entre os convidados dando vez e voz a todos.

A música permeou toda a festa, que aconteceu entre às 10 e 15 horas, apresentando talentos nos diferentes estilos, do clássico ou popular, e mostrando que a diversidade se faz presente através da arte e do trabalho. O público aplaudiu, dançou e cantou junto.

O grupo de repositores Antonio Carlos, Mateus e Diogo (o primeiro surdo e os outros dois com deficiência intelectual) foram celebrar o emprego numa rede de supermercados. Fátima só tinha olhos e era toda orgulho do filho Erick, que tem deficiência auditiva, mostrou o talento ao tocar Timba ao lado dos colegas da Música do Silêncio.

O tom da festa foi a inclusão agregadora, só possível através da boa vontade e esforço conjunto. Como disseram os mestres de cerimônias: é preciso convivência, informação e respeito para incluir. Já o trabalho, é um direito de todos.

Texto: Adriana do Amaral

Voltar para Notícias