São Paulo celebra o 28º. Aniversário da Lei de Cotas com festa inclusiva, diversa e democrática

fotografia mostra o Dr Kal discursando ao lado dos mestres de cerimônia e do intérprete de Libras da festa do 28o. Aniversário da Lei de Cotas
fotografia mostra o Dr Kal discursando ao lado dos mestres de cerimônia e intérprete de Libras durante a festa do 28o. Aniversário da Lei de Cotas

Publicado em: 25/07/2019


Dia 24 de julho é de comemoração. Por isso, a Câmara Paulista, em parceria com instituições, empresas e sindicatos reuniu na Praça das Artes, em São Paulo, artistas, autoridades e formadores de opinião que mostraram que a inclusão é o caminho para a valorização da pessoa humana com toda a sua diversidade, sejam elas físicas, sensoriais, étnicas, de gênero, orientação sexual etc. Principalmente, testemunharam sobre a importância da Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência e Reabilitados do INSS.

Centenas de pessoas participaram da festa, que também foi um ato político. No palco, discursos e atrações artísticas chamaram à atenção para a necessidade da manutenção e ampliação do direitos ao trabalho. Uma celebração apenas possível pelo esforço coletivo, pois todos os recursos foram doados e/ou voluntários.

Entre as atrações artísticas, que incluiu a performance teatral da Inima Produções, do rapper Billy Saga, da Banda Música do Silêncio, do músico Alan Nascimento, do violonista Renato José, dos atletas da equipe Mogi Corinthians de Futebol de Amputados e dos grupos de violão e percussão da Nurap, o palco se abriu para os ativistas das diferentes causas. Entre elas, Cleia Galdino, que tem deficiência visual. A partir da própria experiência, ela enfatizou que o caminho da inclusão é construído coletivamente.

Dentre as autoridades presentes, o Desembargador do TRT 2, Álvaro Noga, que preside a Comissão de Acessibilidade e Inclusão; Lucia Benito de Moraes Mesti, presidente da Comissão Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB; Sandra Ramalho, do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência; Elza de Oliveira, Secretaria do Desenvolvimento do Trabalho da Inclusão de Osasco; Fabiana de Macedo, representando a Secretaria estadual da Pessoa com Deficiência, Célia Leão e Valdirene Assis, da do MPT /Coordigualdade falaram de suas experiências com a importância da Lei de Cotas. Ivone Santana, secretária executiva da Rede Empresarial de Inclusão Social (REIS) falou sobre a importância do papel das empresas na promoção da inclusão das pessoas com deficiência.

“Os avanços conquistados com a Lei de Cotas estão em risco. É preciso festejar as conquistas, mas a luta pela inclusão é cotidiana”, disse Valdirene. A secretária municipal da Pessoa com Deficiência, Marinalva Cruz destacou que para conquistar as transformações culturais é preciso ter “olhos de empatia”.

O coordenador da Câmara Paulista para a Inclusão e do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho Formal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo,  José Carlos do Carmo (Kal), ressaltou a essencialidade do direito ao trabalho para a Pessoa com Deficiência. Destacando o papel fundamental da auditoria fiscal do trabalho, aproveitou para homenagear, com placas comemorativas, as auditoras Inaiá e Ilda, que deixaram recentemente as funções devido à aposentadoria. Ambas disseram que foram décadas de contribuição para a aplicação da Lei de Cotas.

Texto: Adriana do Amaral

Voltar para Notícias