Atletas com deficiência se destacaram na Copinha

#PraCegoVer #ParaTodosVerem: em ação, o atacante Jhonata disputa a posse de bola com o adversário. Na foto, ele é mostrado de frente, ladeado por dois adversários, posicionados de costas para ele, enquanto um colega de time aparece ao fundo. Ele veste o uniforme do Grêmio: camisa com listas horizontais azuis e pretas, com calção preto e meião branco.

Futebol faz atletas superarem as deficiências e se destacarem na Copinha

Paixão nacional, o futebol também tem se engajado na causa pela inclusão da Pessoa com Deficiência, aderindo a campanhas que visam à inclusão como o Aniversário da Lei de Cotas. A Copa São Paulo de Futebol Júnior, apelidada como Copinha, provou que os atletas com deficiências podem brilhar dentro das quatro linhas.

Vitrine para os jovens esportistas, este ano a competição foi à oportunidade para alguns jogadores, que têm competências além do esperado, em campo.  As deficiências de Jhonata Robert e Guida não os permitem disputar as competições como atletas paraolímpicos, mas eles estão correndo atrás dos seus sonhos: serem jogadores profissionais de futebol.

O primeiro é surdo e o segundo cego de um olho. Mas o talento – e paixão pela bola- fizeram que eles superassem os limites – e preconceito e integram os times juniores do Grêmio e Goiás.  A atenção estremada é o recurso que ambos desenvolveram para superar as dificuldades.

A surdez (Jhonata tem apenas 30% da capacidade auditiva) e visão unilateral de Guida são compensadas pelo talento e habilidade com a bola.  Os treinadores e colegas dos times também se esforçam para viabilizar a comunicação e jogadas, valorizando a competência dos colegas.

Infelizmente, os atletas do Grêmio e Goiás não chegaram à final da Copinha, mas são campeãs em respeito, comprometimento, trabalho em equipe e fairplay. Principalmente, estão fazendo história na inclusão do futebol profissional. Parabéns aos dois times!

Leia a integrada da matéria em:

https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2019/01/21/deficiente-visual-e-auditivo-superam-bullying-para-brilhar-na-copinha.htm

Texto: Adriana do Amaral

Voltar para Notícias