Bruno Covas deixa legado de apoio às práticas de acessibilidade e inclusão

Foto de Bruno Covas, um homem branco, totalmente calvo, de olhos castanhos escuros e sem barba. Na foto, aparece somente a gola de sua camisa social preta. Ele está segurando um microfone próximo à boca. No fundo, vê-se o brasão da prefeitura de São Paulo desfocado.

Publicado em: 19/05/2021


Prefeito de São Paulo morreu esta semana, aos 41 anos.

Por Fátima El Kadri

Faleceu na manhã de domingo (16), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, em decorrência de um câncer na cárdia, região que fica entre o esôfago e o estômago. 

Ele vinha tratando a doença desde 2019, mas, no início deste mês, seu estado de saúde se agravou e ele teve que pedir licença do cargo para se dedicar integralmente ao tratamento, internando-se no Hospital Sírio Libanês no dia 2/05. 

Covas apoiou diversas ações em prol da acessibilidade e da inclusão na cidade de São Paulo, inclusive a ampliação do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, que em 2020, aumentou de 7 para 18 integrantes

Durante seu mandato, houve a implementação de tecnologia assistiva nos serviços públicos, salas de aula com recursos multifuncionais, programas de saúde para mulheres com deficiência e cuidadoras, tratamento odontológico para pessoas com deficiência.

Na cultura, aconteceu o Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência: Sem Barreiras. Também foram construídos parquinhos inclusivos, academias adaptadas, cadeira elevatória para piscinas municipais, linhas de ônibus acessíveis, entre outras iniciativas. 

Trajetória de Bruno Covas

Formado em Direito pela USP e Economia pela PUC-SP, Covas iniciou sua vida pública em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito em sua cidade natal, Santos. 

Foi eleito deputado estadual duas vezes e exerceu o cargo de secretário do meio ambiente em São Paulo, no governo de Geraldo Alckmin, onde permaneceu até 2014. Logo após, foi eleito deputado federal e, em 2016, tornou-se vice-prefeito de João Dória, assumindo a prefeitura quando Dória saiu do cargo para candidatar-se ao governo do Estado.

O corpo de Bruno Covas foi velado na sede da prefeitura, em São Paulo, e enterrado ainda na tarde de domingo em Santos, onde está o corpo do avô, o ex-governador Mário Covas. Ele deixa o filho Tomás, de 15 anos.

 

Voltar para Notícias