Em um ano, site da Câmara se consolida como canal de inclusão

O Coordenador da Câmara para Inclusão, dr. Kal do Carmo, está de braços abertos, sorrindo e usa uma camiseta da Lei de Cotas
dr. José Carlos do Carmo - Kal, auditor do Ministério do Trabalho e Coordenador da Câmara para Inclusão

Publicado em: 18/09/2017


Canal é considerado uma referência sobre projetos e ideias que reforçam a importância de se pensar na acessibilidade não só dos espaços físicos, mas principalmente da inclusão atitudinal e comportamental

 

Um ano após ser lançado, o site da Câmara Paulista para Inclusão se consolida como um canal acessível para pessoas com deficiência auditiva e visual, entre outras, pois oferece versões alternativas para o conteúdo das páginas, com traduções, leituras e falas em diversas línguas. Em seu conteúdo digital, o site apresenta notícias atuais sobre projetos e ideias que reforçam a importância de se pensar na acessibilidade não só dos espaços físicos, mas principalmente da inclusão  atitudinal e comportamental, facilitando e estimulando o acesso à comunicação.

Criado há um ano para ser um dos pilares da Câmara Paulista para Inclusão, o site promove e divulga encontros, fóruns e eventos que incentivam o debate e a mobilização para a inclusão profissional da pessoa com deficiência. Ao atender esses quesitos, o  canal também serve à LBI (Lei Brasileira de Inclusão), que em seu capítulo 2 trata da acessibilidade em sites para a comunicação inclusiva, através de tecnologias assistivas e recursos de intérprete de Libras e audiodescrição.

Por entender que quanto mais acessos e oportunidades uma pessoa dispõe, menores serão as dificuldades consequentes de sua deficiência, a Câmara facilita a difusão da comunicação  para todos, divulgando desde agendas de eventos, artigos, entrevistas, fatos políticos e boas práticas empresariais, até os fatos mais relevantes para o tema da inclusão.

Através da ferramenta Hand Talk, disponível em todas as páginas do site, por meio do sinal da ferramenta, que fica à direita do vídeo em toda a navegação, o português é traduzido automaticamente para Libras (a segunda língua oficial do Brasil, para pessoas com deficiência auditiva). Como cerca de 70% dos surdos do país têm dificuldade para compreender o português escrito, o site da Câmara para Inclusão torna-se acessível para quase 12 milhões de brasileiros com deficiência auditiva.

Impacto crescente

Neste primeiro ano, segundo análises feitas a partir da ferramenta Google Analytics, o site registrou cerca de 30 mil visualizações, com 9.825 mil novos usuários, e 7.082 mil que retornam esporadicamente. A taxa de rejeição (pessoas que entram e saem sem ler) aceitável para sites de conteúdo é de cerca de 40% a 60%, segundo o site especializado em websites Quicksprout Consulting.

O site da Câmara Paulista tem uma taxa de rejeição de 28%. “Esse índice demonstra que, à medida em que mantemos uma constância na atualização e na busca de produzir conteúdo relevante para o público interessado no tema da inclusão, conseguimos levar informações úteis e os leitores permanecem mais tempo” avalia Ivone Santana, fundadora do Instituto Modo Parités, consultoria responsável pela implementação e manutenção do site.

As visualizações da home representam 20% dos acessos. Em seguida são os cases da sessão Boas Práticas (7,33%), Quem Somos (3%) e Perguntas Frequentes (3%).

Uma das novidades implementadas a partir de outubro de 2016 foi o lançamento do “Câmara de Inclusão – Informativo semanal”, um boletim com o resumo das últimas notícias do site, enviado para 576 e-mails de formadores de opinião no Brasil. Até o mês de agosto de 2017 foram enviadas 32 edições. A cada edição, cerca de 120 pessoas leem o resumo das notícias no corpo do e-mail e uma média de 30 pessoas acessam as notícias dentro do site, a partir dos links disponibilizados no informativo. Um dos dados que chamam a atenção é o acesso feito por pessoas residentes em outros países, com 558 acessos na Inglaterra, Estados Unidos e em Portugal.

Em nota, o diretor jurídico do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de São Paulo, Felipe Augusto Villarino, manifestou sua opinião sobre o canal de comunicação que a instituição patrocina. “O SESVESP se orgulha em fazer parte deste importante projeto em prol das pessoas com deficiência. Uma entidade séria como o Instituto Modo Parités tem todo o apoio do segmento da Segurança Privada do Estado de São Paulo. Desejamos sucesso e que o site e suas publicações continuem com força total nesta linda causa. Parabéns!”

Conquistas e melhorias futuras

Para o coordenador da Câmara Paulista, dr. José Carlos do Carmo – Kal, o site e o Facebook tem sido formas de amplificar o propósito de disseminação do conhecimento sobre as boas práticas de inclusão, que são propagadas também nas reuniões plenárias da Câmara, realizadas a cada bimestre, e na celebração anual do aniversário da Lei de Cotas, em 24 de julho. Hoje o Facebook da Câmara tem 737 seguidores, número sempre crescente, e um acesso orgânico, isto é, sem publicidade, de 5.867 pessoas, além de uma média de 2 curtidas todos os dias, sem ter registrado nenhuma descurtida em todo o período que está no ar (13 meses).

Para o coordenador da Câmara Paulista, dr. José Carlos do Carmo – Kal, o site e o Facebook tem sido formas de amplificar o propósito de disseminação do conhecimento sobre as boas práticas de inclusão, que são propagadas também nas reuniões plenárias da Câmara, realizadas a cada bimestre, e na celebração anual do aniversário da Lei de Cotas, em 24 de julho. Hoje o Facebook da Câmara tem 737 seguidores, número sempre crescente, e um acesso orgânico, isto é, sem publicidade, de 5.867 pessoas, além de uma média de 2 curtidas todos os dias, sem ter registrado nenhuma descurtida em todo o período que está no ar (13 meses).

 

Sônia Rodrigues: “o site é um exemplo para outros estados e países”.

Sônia Rodrigues, coordenadora de inclusão do Sindicato dos Comerciários do de São Paulo (SECSP) considera que “o acesso do site está muito legal. Tenho consultado constantemente, inclusive os informes da matérias publicadas no site que vêm pelo e-mail, mostram que este canal é um exemplo pra muitas pessoas não só de SP, como de outros estados e países”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Nalva Cruz, secretária adjunta da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo, disse que entra sempre e que usa o site como exemplo em acessibilidade digital para pessoas cegas e surdas, pois são poucos os sites que cuidam deste aspecto, embora seja uma exigência legal.

Nalva Cruz, secretária adjunta da SMPED

“É uma referência para outras instituições e empresas públicas e privadas”. Nalva Cruz ressaltou que espera que o site traga mais indicadores de empregabilidade das pessoas com deficiência, e que sempre o divulga nas palestras que faz e reuniões com empresas, pois o considera um fonte de informações importantes para a promoção da inclusão. “Percebo que no último ano o trabalho da Câmara Paulista cresceu em consistência, tanto na organização dos encontros e no conteúdo das reuniões plenárias quanto na constância de divulgação que o site e a página do Facebook”.

 

Fátima e Silva: “o site é uma das poucas referências de inclusão no mercado de trabalho”

Coordenadora do Programa Coexistir do Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de São Paulo (Sincovaga), Fátima e Silva considera o site da Câmara “uma das poucas referências que as pessoas têm atualmente de mercado de trabalho inclusivo”. Em sua avaliação, os pontos altos são “as pautas, notícias e experiências positivas retratadas”. Ela sugere que o site traga mais “entrevistas com profissionais de RH para saber seus desafios, as informações que eles gostariam de ter, e também ouvir pessoas com deficiência sobre as maiores dificuldades nos processos de entrevista que encontram”.

 

 

Por Stela Masson, 10/08/2017, atualizado em 10/09/2017

Voltar para Notícias