Estudante com TEA torna-se medalhista em Olimpíada de Matemática

Gabriel posa com a medalha no peito em frente do painel oficial. Em fundo azul, onde aparece a logomarca do evento, está escrito: 14ª. Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. OBMEP 2018 Somando novos talentos para o Brasil

O estudante de 13 anos, Gabriel Barroco, ao lado de colegas de todo o Brasil figura no rol dos medalhistas da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. Além de conquistar o ouro, ele alcançou uma meta pessoal ao cumprir um dos requisitos da competição: a prova dissertativa.

Cumprir a parte dissertativa da prova, escrevendo os resultados no papel, foi uma façanha e tanto para o jovem, que cursa a oitava série o Ensino Fundamental. Para isso, ele precisou de um tempo adicional ao estipulado aos concorrentes, cumprindo o regulamento que considera uma hora e meia a mais de prova para estudantes com deficiência.

Gabriel ficou à frente de milhões de alunos de todo o Brasil, e ao lado de 575 medalhistas, vencedores das três categorias. A mãe, Andreza Barroco, salientou que o filho não costuma usar papel, pois aprende tudo de ouvido. A justificativa, segundo ela, é que o filho alega que não escreve “para que as pessoas não saibam o que ele pensa”.

Texto: Adriana do Amaral

Voltar para Notícias