Jovens com síndrome de Down se destacam no mundo da moda

Descrição de Imagem: Fotografia de Isabella Springmuhl, estilista com Sindrome de Down. Ela está sentada com as pernas cruzadas em um sofá laranja rodeada de várias almofadas coloridas. Tem os cabelos castanhos e bem compridos, veste um vestido longo em vários tons de azul.

Publicado em: 23/10/2016


No início de 2016, Isabella Springmuhl representou a Guatemala na London Fashion Week, um dos eventos de moda mais importantes do mundo. Isabella era uma das estilistas mais jovens do festival e sua participação representou um momento de muito orgulho para sua mãe, Isabel Tejada, que acreditou no talento da filha desde a infância. “Ela tinha muitas bonecas e me pedia para comprar panos que ela cortava e fazia roupas para vesti-las”.

Mas o caminho de Isabella não foi fácil. Com síndrome de Down, enfrentou sucessivas barreiras até realizar o seu sonho. Após terminar o colegial foi rejeitada nos cursos de moda que procurou na Guatemala. Ainda assim, autodidata, trabalhou e criou um portfólio de qualidade que a projetou internacionalmente.

Na Xjabelle, marca de moda dirigida por sua avó, desenvolveu uma linha de roupas para pessoas com síndrome de Down, um segmento carente de boas opções. Sua inspiração vem da Guatemala nativa. “Eu prefiro usar tecidos locais, porque eles têm cores bonitas, uma vez que tudo o que faço tem um espírito livre. É por isso que eu uso pompons, couro e adornos bordados em meus projetos”, explica a estilista.

Modelo australiana também se destaca

Descrição de Imagem: Fotografia da modelo Maddy que possui Sindrome de Down. Ela tem cabelos longos ruivos e encaracolados, veste uma blusa preta de magas compridas e uma calça estampada. Está pulando com os braços e pernas abertas.

Maddy, 18 anos, é modelo profissional

O sucesso de Isabella foi  uma surpresa e representa a quebra de estigmas sociais. Outro caso que também tem causado surpresa no mundo da moda é o de Maddy, modelo com síndrome de Down, que assim como a estilista, está conquistando as mídias sociais e as grandes capitais da moda mundiais.

Com 18 anos, Madeline Stuart ou Maddy, como prefere ser chamada, participou de uma campanha para promover a imagem de pessoas com síndrome de Down e quebrar preconceitos. Fez tanto sucesso que foi chamada para estrelar duas campanhas da marca everMaya e teve uma linha de bolsas assinada por ela.

Madeline também é embaixadora de uma ONG que luta contra o bullying. Segundo Rossane Stuart, sua mãe, “as pessoas com síndrome de Down são capazes de qualquer coisa. Só que fazem no seu ritmo. Se lhes dão oportunidades, eles reagem de maneira inacreditavelmente positiva”.

Ao tornar seus respectivos sonhos em  realidade,  essas jovens deixam claro que a maior dificuldade não está nas suas condições genéticas, e sim na falta de inclusão da sociedade.

 

Fontes: Exame.com, www.inquisitr.com, Diario Registrado

 

 

Voltar para Notícias