Moda Inclusiva desfila na PUC de São Paulo

Descrição de Imagem: A fotografia mostra uma modelo cega com um cão guia, desfilando na passarela. Ela veste um vestido branco de cumprimento acima dos joelhos na frente e abaixo dos joelos atrás. Um cinto marron na cintura e mangas compridas. Na passarela um grande zíper aberto serve de cenário.
Desfile do Musa Inclusiva na PUC-SP

Publicado em: 25/07/2016


No dia  10 de junho, o  campus Monte Alegre da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) foi palco e passarela do “Fórum de Moda – SP: Inclusão Social”, com participação das debatedoras  Linamara Rizzo Battistella,  secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, e Daniela Auler,  coordenadora do projeto Moda Inclusiva.

Na ocasião,  foi ressaltada a importância em avançar com a moda inclusiva. “Nós só podemos estar plenamente satisfeitos quando todos tiverem acesso a tudo, a partir de um desejo pessoal que possa ser alcançado. É isso o que estamos fazendo com a moda e é isso que fazemos com todas as áreas”, ressaltou Linamara. Para os participantes do evento,  o vestuário representa a atuação nos círculos sociais, a autoestima e o empoderamento.

Mas além das roupas, os calçados também se  integram à identidade e ao cotidiano das pessoas. Por isso, foi feita a defesa da necessidade de comprá-los de forma individual e não aos pares. “Se peças do vestuário são vendidas individualmente, como saias e blusas, por que não os calçados”? indagou a palestrante.  Sabe-se que as pessoas não têm os dois pés idênticos, principalmente quem é usuário de órtese ou prótese. Há também os amputados: 1 bilhão de pessoas têm deficiência no mundo e só no Brasil são 45 milhões.

A secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência completou que são os detalhes que fazem toda a diferença. “Por que o bolso das calças masculinas, reservados para guardar a carteira, é na parte traseira?” Com o envelhecimento, as pessoas em geral perdem a coordenação fina, dificultando o acesso aos bolsos traseiros. E deficientes  físicos têm problemas com tecidos rústicos e ásperos, pelos grandes períodos em que ficam imobilizados. Daí a importância de se valorizar tecidos macios e confortáveis na vestimenta inclusiva.

 

Descrição de Imagem: Fotografia do desfile de moda inclusiva. A foto traz uma modelo cega acompanhada de seu cão guia desfilando em uma passarela que possui piso tátil. Ela está sorrindo e usando um vestido branco e sapatos de salto alto.

Fonte: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo: http://modainclusiva.sedpcd.sp.gov.br/

 

Voltar para Notícias