Nova campanha do MPT promove a inclusão e o combate à discriminação no mercado de trabalho

Card com desenho de diversas pessoas, todas com máscaras, entre elas pessoas com deficiência, mulheres, pessoas negras, idosas e indígenas. Na parte de baixo do desenho, há um coração com uma das pontas transformada em seta, direcionando para dentro dele. Ao lado do coração, os dizeres “Cota não é privilégio. Inclusão é um direito!”. Do outro lado está a logomarca do MPT em vermelho.

Publicado em: 11/08/2020


Uma semana após a comemoração dos 29 anos da Lei de Cotas, em 24 de julho, o MPT (Ministério Público do Trabalho) lançou uma nova campanha abordando a importância das ações afirmativas para a inclusão não só das pessoas com deficiência, mas de todas as minorias, como LGBTQI+, negros, indígenas, mulheres ou imigrantes.

Por Fátima El Kadri 

Com o mote “ Cota não é privilégio. Inclusão é um direito”, a iniciativa traz uma série de vídeos com representantes do MPT, falando sobre o papel das cotas e outras ações afirmativas previstas em lei como forma de reparar injustiças e promover a igualdade de oportunidades.

A procuradora e coordenadora nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade) do MPT, Adriane Reis, disse ao site do órgão que “A ideia é estimular a empatia com uma espécie de ciranda da inclusão, já que os argumentos de cada personagem, na verdade, são para defender a cota de outro grupo, e assim por diante”. 

Existem dados que confirmam a necessidade dessas iniciativas. O estudo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça, publicado em novembro de 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registra que mais da metade da população brasileira é negra (55,8%), e que eles são a maioria, também, nas estatísticas do desemprego (64%). 

O último Censo do IBGE, realizado há 10 anos, expõe outra situação que precisa ser corrigida. O documento aponta a existência de 45 milhões de pessoas com deficiência no país, porém, menos de 1% delas trabalham atualmente com carteira assinada.

Daí a importância de manter e reforçar tais políticas afirmativas. “O país ainda precisa fortalecer políticas públicas inclusivas tão importantes para o respeito à diversidade e a criação de oportunidades de trabalho digno, permitindo ainda o acesso dessas pessoas às diferentes funções e carreira, defende a procuradora Adriane Reis.

Assista aqui ao primeiro vídeo da campanha e acompanhe a continuidade nas redes sociais do MPT : Facebook, Twitter, Instagram.

Leia abaixo o poema que inspirou o slogan da campanha*: 

Cota não é privilégio

Inclusão é um direito

Não é uma questão de cor

Mas de coração no peito

Seja você quem for

Defenda esse preceito

Mesmo sem deficiência

Lute pela igualdade

Tenha essa consciência

Dê mais oportunidade

Combata a discriminação

Seja qual for sua idade,

Sexo, raça e religião

Respeite a diversidade

Empatia e amor

Vencem qualquer preconceito

Porque cota não é privilégio

Inclusão é um direito!

*A pessoa que escreveu o poema preferiu não ser identificada.

Voltar para Notícias