“Pai da Inclusão” no Brasil comemora 80 anos de vida

foto de Romeu Sassaki falando ao microfone. Ele está de pé, tem cabelos brancos e usa camisa branca.

Romeu Sassaki recebe homenagem de amigos em celebração de vida dedicada aos direitos das pessoas com deficiência

Há mais de 50 anos no ramo da consultoria sobre a autonomia da pessoa com deficiência no mercado, Romeu Sassaki cria seu legado como “pai da inclusão no Brasil” ao comemorar 80 anos neste mês de julho.

Maior pesquisador brasileiro atuante sobre a educação, autonomia e direitos das pessoas com deficiência possui uma carreira extensa, que acumula diversos livros publicados, como os “Inclusão no lazer e turismo”, de 2003, e seu mais famoso “Inclusão – Construindo uma sociedade para todos”, de 2007. Além dos diversos artigos publicados em revistas especializadas como a Revista Nacional de Habilitação, coleciona também artigos internacionais e livretos sobre terminologias e nomenclaturas inclusivas.

Desenvolvendo conceitos sobre a educação para pessoas com deficiência, propagou a educação inclusiva, ideia que consiste em estabelecer um ambiente que proporciona o fácil acesso da pessoa com deficiência para o local de estudo, para que consiga praticar plenamente seus estudos, assim como qualquer outra criança.

Em comemoração aos 80 anos do pesquisador, a jornalista Lia Crespo organizou uma homenagem a Romeu Sassaki, no dia 28 (último sábado). “No final de 1979, quando ocorreram as primeiras reuniões, Romeu já estava presente, trazendo informações fresquinhas de outros países e registrando a história do movimento. Dando ideias, ajudando a encontrar soluções, divulgando informações, até empurrando cadeiras de rodas e dando carona, quando isso foi necessário. Nunca usurpando o lugar de uma pessoa com deficiência, mas sempre ao nosso lado”, pontuou Crespo sobre a presença de Sassaki durante o crescimento do movimento para os direitos da pessoa com deficiência.

Foto: Lia Crespo

Num passo muito relevante para a história dos direitos pessoais, a Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência (CPDP) foi escrita, e Sassaki teve papel relevante ao ser o responsável pela sua tradução para o português brasileiro, e atualmente traduz também os relatórios mensais da ONU na Enable Newsletter.

Por fim, a colaboração de Romeu Sassaki vai além de projetos científicos e acadêmicos, a presença contínua, desde 1960, no movimento fez com que o pesquisador tornasse também consultor empresarial e palestrante, atingindo assim uma gama ampliada de público.

Diante das perspectivas futuras, Lia Crespo enfatiza que Sassaki tem papel fundamental em todo o processo, “como o próprio Romeu sempre diz, a inclusão é um movimento irreversível. Pode ser lento e difícil, mas é irreversível. Só anda para frente, nunca para trás, então, a tendência é melhorar. Acredito nisso. Já melhorou muito desde a época do começo do movimento, em 1979, 1980. É certo que ainda falta muito, mas chegaremos lá”.

Voltar para Notícias