Solidariedade com população de Brumadinho ajuda jovem com deficiência

O jovem Lázaro está acionando sozinho sua cadeira de rodas. Seu pai caminha ao seu lado, sorrindo. A rua por onde andam está repleta de terra.

Publicado em: 04/04/2019


O maior sonho de Lázaro e de sua família era conseguir uma cadeira de rodas motorizada para facilitar a rotina e garantir mais conforto e autonomia para o jovem. A ausência de assistência para Lázaro e sua família é mais um exemplo da negligência dos serviços governamentais e das grandes empresas. A cadeira motorizada, tecnologia assistiva que deveria ser providenciada pelo poder público, nunca chegou. A grande empresa responsável pelo o crime ambiental e contra a humanidade também não considerou esta possibilidade como uma ação de impacto social para a comunidade.

A sociedade espera respostas enquanto famílias ainda procuram corpos para velar, passado um mês e meio após o rompimento da Barragem da empresa Vale em Brumadinho, no dia 25 de janeiro. A maior tragédia humanitária brasileira transformou a rotina de vida dos moradores da cidade mineira. Neste contexto, o adolescente Lázaro realizou um sonho.

Morador do Córrego do Feijão, Lázaro cresceu sendo carregado nas costas do pai, Wilson. Afinal, nem sempre os caminhos de terra possibilitavam andar com a cadeira de rodas. Realidade que mudou graças à solidariedade de doadores de todo o Brasil, mobilizados pela internet pelos organizadores do coletivo “SP Invisível”.

“Ninguém conhece o problema da gente, ninguém enxergava a gente e os que sabiam não podem ajudar”, disse o pai, senhor Wilson, com a fala mansa e modos e sotaque mineiro. Realidade que mudou quando André Soler, do SP Invisível, “enxergou” e se propôs a ajudar.

André conta que dentre tantos problemas que assolavam a região “uma família não estava sendo vista”. O patriarca atestou: Deus envia a pessoa certa na casa da gente.

“Decidi contar a história numa campanha na internet par que as pessoas pudessem ter o privilégio de ajudar”, conta André Soler. “A sintonia que pai e filho têm é uma coisa que não dá para explicar.”

Ele tenta resumir a simbologia do momento da entrega da cadeira de rodas motorizada: antes o pai andava nas costas do filho e agora Wilson e Lázaro podem andar lado a lado, de mãos dadas.

Amor especial

Com a simplicidade de homem rural, Wilson relata que quando o filho nasceu o médico disse à mãe, dona Geralda, que “para ela não se preocupar, pois o filho era uma benção de Deus”. “Somos mais alegres ainda porque ele é especial. Ele é tudo para nós, é a riqueza da nossa vida!”, afirma.

Sem segurar o choro, Wilson mandou um abraço “de coração” a todos que o ajudaram enquanto Lázaro passeia sorrindo pela cidade de Brumadinho.

Assista ao vídeo e conheça mais sobre a linda história de amor de pai e filho:

Texto: Adriana do Amaral

Voltar para Notícias